Os nossos adversários

Ainda é cedo, mas duas equipas começam a definir-se. Por um lado o Braga,  todos sabemos como Jesualdo Ferreira sabe fazer crescer jogadores e construir uma equipa. Mas mais preocupante ameaça ser o Sporting.  Em dificuldades económicas, investiu num bom treinador (não gostaria de o ver no Porto, mas é um bom treinador) e principalmente nos jogadores que formou. Conheço bem quatro, que estiveram emprestado à Académica, e qualquer um deles tem a selecção no horizonte (Adrien Silva, acrescento, será o natural sucessor de Moutinho).

As equipas portuguesas com maior capacidade económica têm caído no erro de privilegiarem a importação de craques em potência, e precisamente por isso a nossa selecção vai decaindo. Emprestar jogadores não é o caminho, principalmente agora com equipas B. Castro é mais uma vítima desta mentalidade, e o empréstimo que se fala, de Iturbe ou de Kelvin, mais do mesmo.

Ora no Sporting este ano vemos o inverso, e tudo leva a crer que vai ser uma lição para os dirigentes desportivos portugueses. Espero bem que fique por aí, tanto mais que ameaçamos ter novamente uma equipa para a Europa, e já se sabe que isso pode levar a alguns fraquejos na fase final do campeonato.

 

Vitória tranquila

Imagem E ao segundo jogo deste campeonato, a 2ª vitória. Esta com uma exibição mais colorida, com apontamentos bem interessantes de alguns jogadores. Continuo com a ideia que deveríamos apostar em 2 extremos de raiz ao invés do Josué naquela posição. Não que eu seja da opinião de tirar do onze o Josué, muito pelo contrário, penso que ele deve continuar lá e ser aposta forte para esta época. Mas, à imagem do que faz o Licá num dos flancos, deveríamos ter um jogador de iguais caraterísticas do outro lado. Quanto ao jogo, hoje foi uma vitória tranquila, sem grandes sobressaltos e com uma exibição bem melhor que a realizada em Setúbal. A defesa mais consistente, o meio campo, com exceção do Defour (mais uma exibição cinzenta do Belga) a funcionar bem melhor, com trocas de bola muito boas entre o Lucho, Josué e depois com a entrada do Quintero a manter o mesmo nível, e um ataque muito eficaz, com um grande jogo do Licá e o Jackson a picar mais uma vez o ponto.

 

Foi bom. É sempre bom vencer e se juntarmos a uma vitória uma exibição convincente, melhor ainda.

Vencer sem convencer

E aqui está o início de mais um campeonato. Entrada a vencer em Setúbal. É sempre bom começar a ganhar mas foi mesmo praticamente isso apenas o que se salvou. Um mau jogo do nosso clube, confuso, com pontapés para a frente, muito pouco jogo. Licá foi uma sombra do jogo da semana passada, a defesa a tremer por todos os lados, um meio campo muito pouco “fazedor” de jogo. Salvou-se o Josué nesse capítulo. No meio disto tudo não se pode isentar de culpa o treinador. Se sabia que o Varela não estava em condições, porque razão não convocou mais nenhum extremo? Aquilo que tanto critiquei na época passada em que não jogávamos com dois extremos de raíz, este ano não pode acontecer pois temos opções para esse lugar. Onde anda o Kelvin, Iturbe, Izmaylov? O próprio Ghilas poderia ter feito muito bem essa posição. Agora um médio centro jogar a extremo é que não. Resumindo, gostei do resultado mas fiquei preocupado com a exibição. Jogar meia hora com mais um e andar numa tremideira constante não pode suceder. Espero que esta exibição seja rectificada no futuro e que o Paulo Fonseca aprenda com os erros.

Erro

Venho aqui expressar aquele que para mim é o primeiro grande erro do nosso treinador. Dispensar um jogador como o Castro é lamentável e na minha opinião um erro crasso. Castro é um produto (dos poucos que entram na 1ª equipa) das nossas camadas jovens, um jogador que sente o clube como poucos, que transmite a mística necessária e que fez uma última época bastante interessante mesmo não sendo titular. Para além disso, até pela posição que ocupa no campo (trinco) e a fazer fé nas últimas notícias em que pelos vistos corremos o sério risco de perder o Fernando, até porque vai entrar no último ano de contrato e caso não renove pode sair na próxima época a custo zero, Castro poderia ser uma alternativa a essa possível “perda”. Espero que o tempo não me dê razão e que o Fernando fique, renove, não se lesione e não se sinta a falta do Castro, mas mesmo assim, emprestar um jogador formado no nosso clube e que até pode dar muito jeito numa época longa, com muitos jogos, etc, para mim é um erro enorme.

A 20ª


oporto

 

Mais uma Supertaça. Não é que seja uma competição de extrema importância (pelo menos para mim) mas não deixa de ser uma vitória numa competição. Quanto ao jogo propriamente dito, gostei, sinceramente gostei. Vi uma equipa a ter momentos muito bons de futebol. Pressão alta, boas trocas de bolas, futebol rápido, domínio absoluto do adversário. Gostei da estreia do Licá, mostrou que pode ser muito útil numa posição que o nosso clube está deficitário, além de ser jovem, português, é fanático pelo FC Porto o que é muito bom para manter a nossa mistica. Vi um Lucho muito diferente (para melhor) em relação à época passada, um Fucile “repescado” em boa hora, um Jakson com a eficácia habitual, uma defesa intransponível, em suma, um jogo muito bom mesmo para esta altura da época.

 

Uma nota final para o V. Guimarães, uma equipa lutadora, sem nunca virar a cara à luta e com uma massa associativa fantástica, serviu para abrilhantar ainda mais o jogo. Muito bom mesmo.

 

É a estrutura, estúpida!

SUPER TACA CANDIDO DE OLIVEIRA 2012/13 FC PORTO - V GUIMARAES
É mesmo! A estrutura que permite que saia um treinador e entre outro e tudo continue na mesma. A estrutura que permite que saiam jogadores como João Moutinho e James e tudo continue na mesma. A estrutura que permite que novos jogadores, escolhidos a dedo, se integrem como se sempre tivessem estado no clube.
Vou tentar ser cauteloso na análise de mais uma vitória na Supertaça. Direi que o que vi ontem me deixa confiante para a nova época. Apetecia-me dizer que me deixou entusiasmado. Porque apesar da falta de afinação e de erros demasiados no momento do passe e da desmarcação, próprios de um jogo de início de temporada, o que vi ontem a espaços deixou-me verdadeiramente entusiasmado.
Jogadas lindas, maravilhosas, desenvolvidas no ataque, deixam-me adivinhar muitos sucessos nos próximos meses. O futebol apresentado ontem fez-me lembrar o de Artur Jorge há muitos anos atrás, embora os artistas sejam essencialmente diferentes.
Fiquei impressionado, é verdade. Com a maneira como Alex Sandro faz todo o corredor esquerdo. Com a boa forma que Otamedi já revela. Com a competência de Lucho numa posição que o preserva muito mais. Com a raça e combatividade de Licá no ataque. E aqueles 15 minutos de Quintero, esses deixaram-me verdadeiramente deslumbrado.
Esta já ninguém nos tira e a verdade é que Paulo Fonseca se estreou da melhor forma possível. Pode haver por ali ainda muito trabalho de Vítor Pereira, mas parece-me claro que o dedo do novo treinador já se notou e não foi pouco.

Licá

lica-porto
O profissionalismo é muito bonito, mas ser-se fanático da equipa por quem se joga é belo, e utillíssimo. Licá é um jogador à Porto também porque é um portista.

Esteve bem o treinador limitando-se no onze inicial a uma estreia num jogo que para todos os efeitos era uma final.  Há equipas assim: mudam de treinador, começa uma nova temporada, 9 jogadores são campeões nacionais (o Fucile voltou a casa, e bem) e passeiam-se por uma Supertaça.

Jogo fácil? O Vitória não está na 2ª porque tem um bom treinador e camadas jovens, consequência óbvia e justa para quem  gastou durante anos muito acima do que ganhava, e perdeu jogadores, é um facto.

Jogámos melhor do que no último jogo oficial, e desconfio que temos melhor equipa. E treinador também.