Jogar com o banco

Treino do FC Porto

Repetem-se as críticas ao nosso treinador basco porque tem dado uma forte rotação aos jogadores convocados e aos que alinham desde o início. Que é preciso criar rotinas, dizem.

Ora ter um onze repetitivo é de quem só tem onze jogadores. Jogadores contratados para entrarem nesse onze apenas e só quando o titular se lesiona, já bastou o ano passado. Futebol é competitividade, e ela começa na equipa. Dois jogadores para cada lugar significa que ninguém joga sempre, ninguém adormece à sombra da titularidade indiscutível. Rotinas? criam-se nos treinos.

Hoje vimos uma boa demonstração: Jackson Martinez não marcava, ficou no banco. Entrou e marcou. Num jogo estupidamente empatado por conta de erros infantis, o do primeiro golo sofrido e o do penalti mal marcado, ficou a lição: joga quem está a jogar, e ponta de lança é quem marca golos. Só espero que Quaresma tenha entendido de vez o filme.

Advertisements

One thought on “Jogar com o banco

  1. Bem escrito,mas nem percebo os poucos minutos de Quintero,e junta lo a Brahimi no meio,e jogar sem maicon em 4 1 2 2 1,talvez la va

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s