Lopetegui, és o culpado! (com uma pequena ajuda de terceiros)

FC Porto new coach Julen Lopetegui

E já fomos arrumados da primeira competição da época, em pleno Dragão e mesmo com asneiras da arbitragem, com justiça.

E esta derrota e eliminação teve um culpado maior. Esse culpado chama-se Lopetegui.

Como é possível num jogo a eliminar, contra uma equipa forte fazer tantas alterações como as que fez?

Era de esperar que mais cedo ou mais tarde isto iria acontecer. Não se consegue ganhar rotinas se estamos sempre a alterar o onze inicial como o espanhol o faz.

Não se pode deixar na bancada Martins Indi e Alex Sandro e no banco Fabiano, Brahimi, Tello e Rúben Neves.

Não é assim que se conquistam jogos, não é assim que se conquistam rotinas, e definitivamente, não é assim que se conquista  a massa adepta.

Ao jogar como jogou, o espanhol revelou desconhecimento total do nosso futebol, do adversário e pior, da equipa que treina.

Incompreensível e inadmissível o que se passou.

Mas vamos ao jogo. O Sporting entrou melhor, tomando conta do meio campo e tal como no jogo do campeonato podia ter entrado a marcar, não fosse o remate de Nani ter ido ao poste.

O adversário entrou muito melhor, revelando todas as nossas debilidades defensivas (que com os titulares já são evidentes, o que fará com suplentes), e só com quase dez minutos de jogo é que nos conseguimos soltar um pouco desse domínio.

À passagem dos 24 minutos surge o primeiro caso do jogo. Herrera entra na área para cabecear à baliza e é pontapeado por Paulo Oliveira. Só que Jorge Sousa revela que precisa estudar mais as leis da arbitragens. Não se dá lei da vantagem numa falta dentro da área.

Sete minutos depois surge o golo do Sporting, marcado pelo nosso central Marcano. Um lance infeliz, que ditou a vantagem para o adversário.

Pouco minutos depois conseguimos dar a melhor resposta possível à desvantagem, pois após um magnifico passe de Quintero para a  desmarcação de Jackson, com este a não perdoar na cara de Rui Patrício. Conseguido o empate, agora era aproveitar a embalagem e partir para a vantagem.

Só que mais uma vez, um erro infantil do nosso meio campo, Casemiro decide passar a bola para dentro da nossa área desmarcando o jogador do Sporting que só teve de meter a bola em Nani que pôs novamente o adversário em vantagem.

Daí até ao intervalo viu-se sempre uma exibição mais personalizada do adversário a controlar por completo o jogo.

Para a segunda parte, Lopetegui, faz o que tem feito demasiadas vezes esta época. Queima duas substituições para corrigir as asneiras que comete no inicio.

Tira um faltoso Casemiro e mete para o seu lugar Rúben Neves e faz sair Óliver para entrar Tello, deixando o nosso menos um, Adrián Lopez em campo. Não dá para perceber.

Pouco depois Jackson com um lance muito bom consegue conquistar uma grande penalidade por falta de Mauricio.

Só que, como tem sido apanágio no nosso clube, voltamos a desperdiçar um lance desses. Incompreensível, como ano após ano, falhamos consecutivamente lances destes.

A partir daí o Sporting tomou conta do jogo, sempre muito mais assertivo que o FC Porto e dando sempre a sensação que o terceiro golo estava mais perto que o empate para nós.

Mesmo assim, não fosse mais uma vez Jorge Sousa ter feito vista grossa a um lance para grande penalidade, poderíamos ter tido nova oportunidade para igualar o jogo.

Depois das asneiras da arbitragem no jogo para o campeonato, surgem agora estas para a Taça.

De todas as formas, quero aqui realçar que mesmo com esses lances, a vitória do adversário é justa. Foram superiores, revelaram ter um futebol mais rotinado que o nosso, sabem as suas posições em campo, portanto, na minha opinião, foram uns justos vencedores.

Após esse lance, tivemos mais duas oportunidades dignas desse nome. Uma após um grande cabeceamento de Marcano, defendido superiormente por Rui Patrício e uma outra de Brahimi a rematar ao lado.

Depois disso, o Sporting pouco mais deixou fazer, tomando conta do meio campo e chegando com naturalidade ao terceiro golo.

A partir daí foi o descrédito total da nossa equipa, e até poderíamos ter sofrido mais golos.

Resumindo foi um péssimo jogo do FC Porto, com grandes culpas para o treinador, com uma pequena ajuda de Jorge Sousa.

Quanto a destaques positivos, destaco Jackson Martinez que esteve sempre ligado ao jogo e muito acima de todos os outros.

Quintero também esteve bem, assim como Rúben Neves .

Pela negativa, Casemiro. Não percebo como é titular. Não o vejo a saber jogar nauela posição. É extremamente faltoso, não sabe sair com a bola jogável, complica o que não é complicado. Rúben Neves é muito superior sem sombra de dúvida.

José Angel também esteve muito mal na minha opinião. Aliás, ainda pouco vi  deste espanhol.

Adrián Lopez é um sério candidato a barrete do ano, tantas são as oportunidades que tem e não as aproveita. Começo a não compreender a não utilização de Quaresma. Se jogassem os titulares até compreendia, mas Quaresma é muito superior a este espanhol.

Pior que isto tudo, o nosso treinador, pelas razões que já fui enumerando ao longo deste post.

Nota final para o público do Dragão. Tinha desejado que o Calimero fosse recebido com pétalas de rosa, mas não tendo sido, do que me foi dado a ver, ninguém lhe mandou um tiro, ou facada, ou coisa do género. O Calimero bem tentou incendiar o jogo antes, usando a sua malcriadez habitual mas não conseguiu. Parabéns público do Dragão.

Quanto às considerações finais do jogo, tenho a dizer que fomos eliminados com justiça, por uma equipa que quis ganhar mais do que nós e mesmo com queixas da arbitragem, não podemos usá-las como desculpas.

Advertisements

5 thoughts on “Lopetegui, és o culpado! (com uma pequena ajuda de terceiros)

  1. Tivemos direito a um penalty inventado, sendo que começou em fora-de-jogo, e vens falar da arbitragem?
    Mais penaltys para quê? Para falhar?

    • Sendo para falhar ou nao, se existem têm de ser marcados. Mas não belisco em nada a vitória do Sporting. Foram muito melhor que nós e mereceram a vitória. Agora repito, se existem lances para penalties, falhe-se ou não, têm de ser marcados pelo árbitro.

      • Mas volto a insistir: se beneficiámos de um penalty que não era (simulação clara do Jackson) e que ainda por cima começou num fora de jogo; se o árbitro deixou passar um outro fora-de-jogo claríssimo de um jogador nosso que quase dava golo para nós; se um jogador do Sporting estava isolado em frente ao nosso guarda-redes e o árbitro assinalou um fora-de-jogo inexistente; não me parece que se possa falar de arbitragem.
        Quanto aos dois penaltys de que falas, acho que não foram penalty.

    • Lopetegui. Julen Lopetegui. este é o nome de baptismo do nosso treinador. bem sei que é basco e coiso e tal, mas consegue-se ao fim de algum tempo. até o meu sobrinho, de sete anos, já o pronuncia. e sem erros.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s