Onde está o problema?

Com a derrota ontem na Madeira, o título nacional passou a ser uma miragem.
Não acho que se deva atirar a toalha ao chão, mas que ficou muito mais complicado, lá isso ficou.
Pode-se dizer que o atual líder tem sido levado ao colo por arbitragens vergonhas (o que é verdade), mas não justifica tudo. Perdemos pontos que uma equipa que quer ser campeã não pode perder. Em casa contra o Boavista, no Estoril ou nos Barreiros, são jogos que temos de vencer. Logo aí deixamos um total de sete pontos e mais grave de tudo foi ter visto os nossos jogadores sem garra, sem nada fazerem para inverterem a situação.
Em tempos não muito idos, os nossos adversários até tinham medo de se apanhar em vantagem, porque partíamos para cima deles com tudo e quantas vezes dávamos a volta aos jogos. Nos últimos tempos quantas vezes isso aconteceu? Nenhuma ou quase nenhuma. Estamos descaraterizados, perdemos a identidade.
Temos um plantel forte? Sou da opinião que sim. Temos qualidade. Não acho que o nosso treinador seja um portento, mas também não acho que seja um Paulo Fonseca. Até não há muito tempo atrás não precisávamos de um bom treinador para sermos campeões. Tínhamos uma estrutura vencedora. Uma estrutura que protegia todo o plantel, blindando-o. Hoje, com exceção do ultimo jogo em Braga, não ouvimos nada, parece que estão acomodados. Se mudarmos de treinador como muitos querem, vamos parecer o nosso maior rival que até à chegada de JJ ao clube era um cemitério de treinadores. Temos de dar estabilidade.
Onde está o problema afinal? Se calhar, acima de tudo na estrutura. O treinador também terá a sua cota parte de culpa, assim como alguns jogadores.
Ontem um amigo dizia-me em resposta ao post que fiz do jogo que a diferença não foi o Marítimo ter jogado melhor connosco do que contra o Benfas, a diferença rezidia na maior qualidade de jogo dos atuais líderes. E vendo bem as coisas tem razão. Eles com um plantel desmembrado, mais fraco que o nosso, correm mais, lutam mais, suam mais.
Alguma coisa tem de ser feita. Não podemos ter jogadores emprestados, de qualidade duvidosa a titulares a tapar jogadores da casa.

Não defendo uma equipa só de jogadores da casa, sei perfeitamente que isso é impossível, mas ver jogadores como Casemiro ou Tello que pouco ou nada acrescentam ao nosso jogo preocupa-me.

Fala-se que está é uma equipa jovem, que tem de crescer e que temos de dar tempo para isso. Tudo muito bem, se isso fosse verdade.

Óliver é jovem e muito promissor, mas no final da época irá regressar à equipa dele, porque está cá por empréstimo e não temos clausula de compra.

Tello é jovem mas também está por empréstimo, e sinceramente parece-me mais importado em não se lesionar do que suar a camisola que enverga.

Casemiro outro jovem jogador, mas emprestado e que talvez regresse ao clube de origem. O que no caso dele até não é mau, porque não vejo nele qualidade para ser jogador do meu clube.

Logo aqui temos três titulares que poderão não estar aqui para a próxima época ou na melhor das hipóteses ficarão mais uma, no caso dos dois últimos.

Jackson Martinez muito provavelmente estará de saída.

Por isso dizer que estamos com uma equipa jovem que precisa de tempo para crescer, não passa de ilusão.

Iremos perder estes jogadores. Teremos de ir buscar outros. Teremos de reconstruir o plantel. Este foi construído para sermos campeões esta época e fazermos uma boa Liga dos Campeões. E se em relação à Liga dos Campeões as coisas não têm corrido mal, já no que diz respeito ao campeonato não podemos dizer o mesmo.

Sei que é muito fácil criticar quando as coisas estão mal. É nesta altura que aparecem os abutres. Mas também é nestas alturas que teremos de parar para pensar e corrigir os erros recentes.

Não concordo que se despeça o treinador. Não sendo seu profundo apreciador, penso que ele está a aprender, tem um discurso e uma garra no banco que eu aprecio.

Para mim o maior problema está na estrutura. Estrutura que foi até há muito pouco tempo um exemplo, mas que neste momento está desfragmentada, acomodada, aburguesada.

O problema passa também pela falta de símbolos no plantel. Andamos estes dias a rezar para que Helton regressasse. Mas Helton tem 36 anos, não irá durar muito mais tempo na alta competição. Precisamos que jogadores como Rúben Neves, Gonçalo Paciência, se calhar Sérgio Oliveira, ou Ivo Rodrigues por exemplo, apareçam e sejam aposta no onze. Pode não resultar é certo, mas só assim é que poderemos reconquistar a mística, a garra, a chama do Dragão.

 

Temos de recuperar o nosso ADN.

Advertisements

One thought on “Onde está o problema?

  1. A ideia, era exercer a opção de compra de ambos, embora eu prefira que só se faça de um: Tello.
    Acho que apesar da medriquice dele, pode ser um jogador importante quando ganhar a confiança.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s