Ainda sobre a “International Champions Cup”

Felizmente que não fomos

19 dias seguidos em digressão, longe de casa e da família.
Viagens atrás de viagens (cerca de 20 mil quilómetros percorridos).
Temperaturas e humidade (muito) elevadas, que afetaram treinos e jogos, um dos quais disputado em altitude (na Cidade do México).
Três golos e zero vitórias em cinco jogos.
Resultados desportivos péssimos e, diz quem viu, exibições confrangedoras.

Li, algures, que o SLB terá encaixado um cachet de pouco mais de 3 milhões de euros com esta digressão de quase três semanas.
É pouco, muito pouco, para quem regressa a Portugal com o plantel de rastos (física e emocionalmente) e o prestígio internacional na lama.

Em finais de maio passado, a explicação dada pelo FC Porto, para desistir da participação na International Champions Cup, não me pareceu aceitável. Contudo, eu agora olho para os contornos desta digressão horrenda do SLB por Canadá, EUA e México (e veremos que consequências terá na época dos encarnados de Lisboa) e vejo com outros olhos essa decisão (que se revelou acertada) da Administração da FC Porto SAD.

Efeito Casillas nas redes sociais

Interessante: Efeito Casillas: FC Porto ultrapassa Benfica no Facebook e no Twitter

O efeito da contratação de Iker Casillas fez-se notar nas redes sociais com um inusitado crescimento das contas do FC Porto nas redes sociais que, nos últimos dias, permitiu inclusive ao clube do Dragão ultrapassar o Benfica no número de «gostos» no Facebook e no número de «seguidores» no Twitter.

Um efeito que se deve, em boa parte, ao aumento substancial de cliques provenientes do estrangeiro.

Quaresma e Jesus

Quaresma: «Ser amigo de Jesus não significa querer jogar na equipa dele»

Eu não tenho muitos amigos, mas, sou amigo do meu amigo, não é novidade para ninguém que sou amigo do Jorge Jesus, e gosto de acreditar que o abraço que várias vezes damos no final dos jogos inspire o fair play que deve reinar no futebol.

Mas o facto de ser amigo do Jorge Jesus não significa de forma nenhuma que eu queira jogar na equipa que ele treina.

Vocês sabem isso, a equipa do meu coração é o Porto, embora tenha respeito por todas as equipas portuguesas confesso que em Portugal não me imagino a jogar noutro clube.

Há petróleo em Alvalade?

A minha perspectiva sobre a contratação de Jorge Jesus pelo Sporting no contexto actual do futebol português: Jesus e a tentação de Bruno.

Depois de uma época com poucos motivos de alegria para os adeptos do FC Porto – categoria em que me incluo – os desenvolvimentos dos últimos dias nos clubes da capital não podem deixar de suscitar alguns sorrisos. Mas, mais do que alguns momentos de alívio fugaz no contexto de uma difícil ressaca futebolística, o que realmente merece ser salientado na conturbada passagem de Jorge Jesus do Benfica para o Sporting é a conduta de Bruno de Carvalho, que implica risco máximo para o clube a que preside num contexto em que tudo pareceria aconselhar maior prudência. (…) Para já, a larga maioria dos sportinguistas parece continuar a apoiar entusiasticamente tanto o estilo de gestão como as decisões de Bruno de Carvalho, mas será muito interessante assistir ao desenrolar da próxima época. Jorge Jesus teve inegável (ainda que não exclusivo) mérito na forma como o Benfica ficou à frente do FC Porto, mas seria capaz de fazer o mesmo com um plantel similar ao que Marco Silva teve à disposição? Adicionalmente, ao longo dos próximos meses será também interessante assistir à convivência sob o mesmo tecto dos egos de Jorge Jesus e Bruno de Carvalho.

Carlos Alberto Silva sobre o FC Porto

Carlos Alberto Silva em entrevista:

«Sou do FC Porto e continuo a torcer pelo clube. Ajudei a fazer boas campanhas no campeonato português, na Taça de Portugal e nas provas europeias. Como não havia de ser do FC Porto? [risos]», sustentou o antigo treinador azul e branco, que guarda «boas recordações da cidade e do clube». «Foram bons tempos que passei na cidade Invicta, como lhe chamam. Naquela altura conseguimos coisas boas e tenho muitas saudades desses tempos.»

Atualmente com 75 anos, Carlos Alberto Silva revelou ainda nesta entrevista ao zerozero.pt que gosta de falar aos netos sobre o FC Porto. «Aproveito sempre para lhes contar tudo o que vivi no clube, as pessoas que conheci. E, então é isso. O FC Porto é um clube especial. É o clube português mais acarinhado no Brasil»