Fim

O Bitri surgiu por iniciativa do João José Cardoso, que se lembrou de reunir um grupo de bloggers políticos adeptos do FC do Porto. O primeiro post, assinado pelo próprio JJC, foi publicado a 14 de Fevereiro de 2012: «Ainda com as contratações em curso, algumas por atrasos burocráticos da FPF e da UEFA, a jogar por enquanto num campo pelado, enquanto o verdadeiro estádio/template está em construção, o Futebol Clube do Porto ganha em qualquer terreno. Jogamos de calcanhar se for preciso, mas sem a mão do Vata.»
No caso do Bitri, não foi assim tão verdade. No caso do FC Porto, durante estes últimos 3 anos, também não. Da nossa parte, tentámos, mas há muito que se percebera que não havia volta a dar-lhe. O Pedro Sousa ainda tentou remar contra a maré, mas o fim estava anunciado.
O desaparecimento do João José Cardoso só acelerou o processo. Agora, sim, o Bitri deixou de fazer sentido.
Obrigado a todos os que escreveram e a todos que nos leram… e viva o Porto!

João Capela vai ser o árbitro do Benfica – Estoril

É uma informação baseada em fonte muito próxima do Conselho de Arbitragem da Federação Portuguesa de Futebol: João Capela será o árbitro do Benfica – Estoril, a contar para a próxima jornada do Campeonato Nacional de Futebol.
Uma informação que, no fundo, não deixa de ser uma não-notícia. Afinal, há quase 2 meses que o árbitro João Capela não apita o Benfica. Para além disso, as alternativas directas não estavam disponíveis: Manuel Mota tem feito parte, como quarto árbitro, dos últimos jogos do Benfica, sendo que no penúltimo deles chegou a dar indicação ao árbitro principal da existência de uma grande penalidade a favor do Paços de Ferreira; Bruno Paixão apitou o Benfica há menos de um mês; e Jorge Ferreira.. bem, se calhar parecia mal.
Assim sendo, embora Vítor Pereira tenha estudado outras alternativas fiáveis, como Luis Ferreira ou Vasco Santos (Marco Ferreira, que em Outubro não evitou a derrota do Benfica em Braga, foi de imediato descartado), a escolha acabou por recair em João Capela.

Jorge Nuno Pinto da Costa está a mais – chegou a hora de sair

Quando um dirigente manifestamente não demonstra capacidade de defender o clube que lhe paga o ordenado, é porque chegou a hora de sair. Todos têm um fim, o de Jorge Nuno Pinto da Costa chegou agora.
Depois de tudo o que tem acontecido neste campeonato, o Presidente do Porto não foi capaz de erguer uma única vez a sua voz contra tudo o que tem acontecido. Como tal, já não está em condições de defender o clube como defendeu no passado.
O passado, glorioso, ninguém lho tirará. O que fez pelo clube fica na História. Mas como não queremos ficar cristalizados na História, como outros clubes um dia ficaram, chegou a hora de mudar. Que saia e que dê o lugar a outro – que consiga perceber isso e o quanto antes.

Atitude!

Orgulho de ser portista! Orgulho da história que fizemos em Basileia há 31 anos e orgulho da história que fizemos hoje.
Do que vi, um domínio total na segunda parte face a uma equipa que jogava em casa e que praticamente não conseguiu respirar. Uma atitude que dignifica o clube, uma postura de arrojo e de personalidade que não via nas nossas prestações na Europa há muitos anos.
Sofri hoje pelo Porto como não sofria há algum tempo. E a bola que não entrava. Entrou. Eu vi, abraçado à minha filha que estava a fazer uma birra porque o Porto estava a perder (ela que há dias dizia ser benfiquista) . «O que é um golo anulado, pai?»
Não li o que se escreveu sobre o jogo. Propositadamente. O que o Porto fez hoje, o empate que arrancou e que até podia ter sido vitória, deixa-me feliz. Sobretudo a atitude.

Jackson Martinez, não mais do que um pedaço de asno

Agosto de 2013, um ano depois da chegada ao Porto

Agosto de 2013, um ano depois da chegada ao Porto


«Espero não forçar uma saída» (Agosto de 2013); «Quero conseguir uma boa transferência» (Outubro de 2013); «Jackson está à espera do Valência» (Julho de 2014).
Jackson Martinez chegou no defeso de 2012, mas em Agosto do ano seguinte já andava a dizer que «espero não forçar uma saída». Afirmações que se repetiram várias vezes desde então.
E quando o Porto está na luta pelo título, a 4 pontos do primeiro e numa altura em que qualquer deslize pode ser fatal – exige-se a máxima concentração no momento mais agudo da época – o que tem a dizer o capitão do FC do Porto aos seus colegas e ao resto do clube? «Estou pronto para dar o salto. As ligas espanhola, inglesa e italiana têm muita história».
Pois têm, Jackson, pois têm. E o Porto também tem muita história. Tanta que tu nunca saberás quanta. Quereres sair é normal e ninguém por aqui te quer cortar as pernas. O que não é normal, meu pedaço de asno, é que neste momento esta seja a tua maior preocupação. Ou, pelo menos, que a expresses como tal.
E quando saíres, mesmo que nas redes sociais venham os costumeiros «obrigado por tudo», de mim não terás qualquer agradecimento. Fizeste o teu trabalho bem feito e foste bem pago por isso.
Quanto ao resto, numa história com mais de cem anos, foste apenas mais um…